24 maio 2016

Máquina da Paz

Sonhar é fácil. Mas quase sempre temos sonhos impossíveis. Tive um Pai sonhador. Sonhava com África. Dizia que seria lá a nossa casa quando houvesse guerra por aqui. Afinal tudo não passou de um sonho desfeito. Agora a guerra é lá, é cá, é para onde o vento a levar.
O que eu gostaria, se fosse um inventor, seria de fabricar a Máquina da Paz. Para que nós todos pudéssemos chamar Casa a qualquer lugar do Mundo!

Isabel Lopo, 70 anos, Lisboa

Desafio RS nº 37 – o lápis caído no chão

Sem comentários:

Enviar um comentário