03 junho 2016

O lorpa

Ouvia-o falar num palavreado infernal. Parecia um rapa-línguas, saído de um mundo paralelo, palreando sem sentido nem propósito! Eu, sentada na minha poltronarecapitulava os disparates e cismava paralisada – Como é possível este lorpa debitar tanta palermice?
Procuro a paciência que me falta e, num lampejar de sanidade, concluo que é melhor manter-me calada.  O melhor mesmo é deixar que o homem continue e pense que sou uma idiota, do que falar e acabar com a dúvida!

Sandra Évora, 43 anos, Sto. António dos Cavaleiros 

Desafio nº 107 - 10 palavras com PLR

Sem comentários:

Enviar um comentário