24 agosto 2016

Fantasia

Ri-se meu pé e sobe, anda, voa
Soalho, tacos, madeiras estão rangendo.
Em nós o som ecoa, soa, soa…
Dançamos, ignotas harpas tangendo
A lua alta roda, bela, no céu.
Soltamos nossos lenços desdobrando
como no ar a teia, puro véu.
Bailamos, nossas angústias sarando
a crua dor que dói e é fel.
Pirilampos, gafanhotos saltando
Tudo é vida, onda, riso, mel.
Festejemos, festejemos! Canta comigo, irmã!
Que a hora vai, por nós voou, e é vã.
Isabel Sousa, 64 anos, Lisboa.
Desafio RS nº 35 – até 4 letras, mais de 4

2 comentários: