25 setembro 2016

77x77 - Leonor Tenreiro

Tento fazer as palavras andar. De dentro para fora. De lá para cá. Do que se vê e ouve. Do que se sente e do que se esconde até ser escrito. Num dos encontros onde a Escrita se faz plasticina, ouvi uma mãe dizer que o filho sofria de um mal genético: falta de imaginação. Queriam curar-se. Muitos textos depois, vi-a colocar a mão no peito da criança e dizer “Oh filho, tinhas isso tudo aí dentro?”.

Sem comentários:

Enviar um comentário