02 setembro 2016

Uma mulher insuportável

A mulher era uma doninha fedorenta: modos miudinhos, elétricos, afetados e cínicos. O fedor vinha-lhe das maneiras e não do odor: um rasto de perfume caro mas absurdamente incomodativo, que se nos colava ao cérebro.
Passava os dedos sobre os móveis alheios para avaliar a quantidade de pó; falava connosco perscrutando-nos, com olhos “postiços” de eyeliner. Observava-nos os sapatos, o cair da saia, a qualidade do algodão. Sempre perfeita: tudo que era seu era ideal. Uma “cenisga”.
Maria José Castro, 56 anos, Azeitão

Desafio Escritiva nº 10 - definições criativas

Sem comentários:

Enviar um comentário