20 dezembro 2016

Para lá da crise

Natal 2002. Fica na História com um rótulo: ano de crise. Pelo menos foi o que escrevi na agenda onde listo as prendas. Catorze anos depois, o rótulo mantém-se, com alguns agravos pelo meio e, cada vez mais, menos pessoas na lista das prendas.
Mas, quem quer saber da crise? Num lar onde não há prendas, mas há gargalhadas e rabanadas, alegria, harmonia e aletria, sonhos, ilusões e coscorões, filhós e nós… a crise não ousa entrar!
Ana Paula Oliveira, 56 anos, S. João da Madeira

Desafio RS nº 44 – reflexão em 44, contrário em 33

Sem comentários:

Enviar um comentário