04 fevereiro 2017

A sonhar

Um dia de trabalho intenso.  Apanha dois transportes até casa. São 21:30. Encontra o filho adormecido no sofá, cansado de a esperar. O forno está frio e não há sopa pronta.
Com voz suave acorda-o e prepara leite quente com flocos para ambos. Vida de mulher a dias. Afasta uma lágrima que teima em descer pelo rosto enquanto sonha pelo futuro do filho que a há-de levar para uma casa onde encontrará o conforto que sempre procurou.
Alda Gonçalves, 49 anos, Porto
Mais textos aqui: www.macadejunho-mafaldinha.blogspot.pt

Desafio nº 115 – frase de Valter Hugo Mãe

Sem comentários:

Enviar um comentário