30 janeiro 2017

Desafio nº 115

Dia de novo desafio, preparem-se.
Desta vez, não será um quebra-cabeças, mas sim um pedaço de um livro genial.

Não resisti a trazer-vos uma frase de Valter Hugo Mãe, 
do livro «Homens imprudentemente poéticos», que estou a ler com paixão. 
Nem sequer foi simples escolher a frase! Aqui vai:

Esperaram pelo sono para se mudarem para o dia seguinte.

O que vos surge? Não usem a frase, é só o mote para o texto.
E, já agora, parabéns ao Valter Hugo Mãe, é um livro de uma poética inquietante.

Eu escrevi assim:
Corpos encolhidos por hábito. Era assim que pareceriam a quem os visse. As sombras, desenhadas pela fogueira, acrescentavam-lhes um movimento que não possuíam. Aproveitando a distração da fome, causada pelas bagas impossíveis de mastigar, mudaram de página, de dia, de sofrimento. Dormiram na esperança de não voltar a acordar. Contudo, a noite atraiçoou-os. Emprestou-lhes um descanso que os obrigaria a continuar caminho. E eles, por hábito, assim fizeram. Se alguém os visse, acreditaria na morte que desejavam.
Margarida Fonseca Santos, 56 anos, Lisboa

Desafio nº 115 – frase de Valter Hugo Mãe

19 comentários:

  1. Sensacional tua hisTÓria e mote...ADOREI! BJS, LINDA SEMANA! CHICA

    ResponderEliminar
  2. Oi Margarida!

    Inquietante mesmo esta proposta! Gostei. rsrs

    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;) Pois, havia tantas frases deste livro para trazer...
      Um grande beijinho amigo

      Eliminar
  3. Adorei... Como joga com as palavras! Obrigada. Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venha daí uma história, vá. É tão bom ;)
      Um beijinho

      Eliminar
  4. Olá Margarida querida, amei seu texto de muita inspiração e uma construção emocionante de bela.
    Há que se aplaudir amiga.
    Vou levar e buscar participar pela pintura de desafio.
    O livro um despertar de curiosidade.
    Um abração com carinho.
    Bjs de paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querido amigo, que bom receber esta sua mensagem.
      Sim, venha daí esse texto.
      Um grande beijinho

      Eliminar
  5. Ola amiga, enviado para seu email.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Nada daquilo tinha sentido.
    Até um simples arrepio era uma construção. Aquele gente perdera a noção do bem, como se amar Lucifer fosse amar Deus. Ou seria?
    Tempos estranhos, de pesadelos acordados. Queria sair deste tempo e acordar amanhã, com o cheiro a musgo, a musica do mar e o gosto a sal, o olhar profundo de um abraço.
    Da janela do meu mundo, do terraço do vento que me inibriava, assim ia dando alimento à alma, grilhetas à mente mundana, egoista - cavalgando os prados da memória em torpor da matéria em que existia.
    E nestes saltos do Ser e do Ter, nesta busca de um amanhã mais amigo, vou sonhando!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, não é aqui que envia as histórias. Envie por mail, para 77palavras@gmail.com, com nome, cidade e idade, pode ser? Obrigada.

      Eliminar
  7. Gostei da frase e da sua resolução!
    Lindo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Celina. O livro do Valter Hugo Mãe está cheio de frases assim, lindas.
      Um grande beijinho

      Eliminar
  8. Já li o «remorso de baltazar serapião» e a "Desumanização" do Mãe. São livros absolutamente geniais. Apaixonei-me perdidamente pela sua escrita. O «Homens imprudentemente poéticos» já está na estante :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, estás «contagiada» oficialmente! Excelente.
      Um grande beijinho para ti!

      Eliminar
  9. Que lindo texto Margarida. Também adoro o Vater Hugo Mãe, tenho esse livro à espera impaciente na prateleira. Se esse livro inspira textos como esse teu maravilhoso, vou já começar a lê-lo assim que terminar os dias uteis da Patrícia Portela. Um enorme abraço para ti. A ver se é desta que junto as minhas palavras às vossas histórias. Tenho vontade. Falta-me o tempo e a disciplina, sobretudo a disciplina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prepara-te, vai ser uma viagem, o livro é fantástico.
      E anda daí, é muito divertido, sem exigências para além de fazer escrever. :)
      Um grande beijinho

      Eliminar