10 fevereiro 2017

Que dia!

Hoje de manhã quando acordei, encontrei o meu relógio em ruína.
Estava perto da peúga, dentro do sapato cinzento, junto à cama.
Comecei logo a pensar na justiça ou injustiça que me aconteceu.
No dia anterior deixei-o cair no metro, mas ficou a funcionar.
Que doce aquele momento, ao ver que estava tudo a trabalhar.
Logo de manhã, já a pilha tinha ido pelo ralo da bacia.
Tive que ir ao relojoeiro que vive ao fundo da rua.
Vera Saraiva, 37 anos, Redondo, Alentejo

Desafio RS nº 26 – 7 palavras impostas em 7 frases de 11 palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário