26/01/12

histórias recebidas - janeiro 2012 IV

 Diogo, dos Reguilas da Mata, de novo!!! (1º ciclo)

Cana de pesca mágica
No domingo, o Frederico foi pescar achigãs na barragem do Alqueva, com a família.
Quando foi lanchar encontrou uma cana de pesca perdida.  Esta murmurou:
- Olá! Queres pescar comigo?
- Quem falou?! - exclamou o Frederico.
- Eu, a cana de pesca.
- Boa! Contigo vou pescar uma tonelada de achigãs…
- Só?! Eu sou capaz de pescar duas toneladas.
- A sério! Vamos lá ver isso…
Não é que conseguiram mesmo!
Frederico, dos Reguilas!!!

Será que estou louco?
– O quê? O cano falou?
– Sim falei, algum problema?
   Jacinto beliscou-se pela segunda vez. Seria mesmo verdade?
– Não te magoes. Arranja-me!
– Será que estou louco? - perguntou-se Jacinto.
    O cano furioso, já sem paciência, disse a Jacinto que tinham de fazer um acordo.
– Está bem. Mas o quê?
– Tu tentas substituir-me e eu fico teu amigo!
– Mas para que é que eu quero um amigo que é resmungão e mandão?
– Juro! Se ficarmos amigos vou ser super-simpático!
 Catarina Colaço, 11 anos, Ext. Marista de Lisboa


– Mãe, estão ali duas pretas – disse Bia, menina perspicaz de quatro anos, quando entrava no infantário.
– E estão aqui duas brancas – respondeu a mãe.
E foi assim que começou uma colorida lição sobre cores que iluminam o mundo. Diferenças de pele, corações iguais, iguais sorrisos rasgados, iguais gestos de amor.
E foi assim que, um mês depois, Bia desembrulhou a prenda de Natal e abraçou o simpático boneco negro, tão risonho, vestido com o arco-íris.
 Ana Paula Oliveira – 51 anos, S. João da Madeira

Sem comentários:

Publicar um comentário