02/11/12

Quero ser doutor...


Era uma vez um leitão que ansiava ser porco, mas o tempo andava devagar, parecia uma rolha que lhe tapava o almofariz do crescimento. Um dia, qual despertador, a campainha das ideias tocou; mais rápido que uma bola de ténis, mais sinuoso que uma vespa, voou até à cidade.
– Quero ser doutor, de papel passado – disse ele, quando, na universidade, lhe abriram a porta. – Tem que ser rápido, num dia.
Pura magia: ao sair já era porco.

Bau Pires, Porto

Sem comentários:

Publicar um comentário