08/04/13

Tic-tac


Tic-Tac, Tic-Tac… dizia-me o Relógio de Cuco da avó Guilhermina. Passava horas a ouvi-lo falar, sempre com o mesmo ritmo. Ficava a olhá-lo encantada, expectante. De repente, lá aparecia o cuco! Que alegria!
Mas, naquele domingo, o relógio falou diferente... um tic tac afetado, incerto e apardalado! Afinal, era só um ovo de Páscoa que a avó escondera lá dentro, que o fez falar diferente, como que a avisar-me que guardava uma surpresa! Éramos amigos, claro está!

Sandra Évora, 40 anos, St. Ant. dos Cavaleiros, Loures

Sem comentários:

Publicar um comentário