20/04/13

Um outro mundo


Aquele quarto era o seu mundo, há muito tempo, mas sem o ver! Os sons diários enchiam-no de tédio e só o chilrear dos pássaros na alvorada e no crepúsculo o tiravam do entorpecimento. Não era justo. Estava exaurido, sem ânimo, sem futuro. A enfermeira nova chegou com ideias… ia trazer livros. Para quê?... Nunca gostara deles.
Até ela começar a ler. Aí viajou e começou a ansiar pela alvorada para ouvir os pássaros e… as histórias.

Maria José Castro, 53 anos, Azeitão