20/06/13

O homem certo

Continuava incapaz de reagir ao desespero que lhe ia na alma. Decidiu divorciar-se. A dor da traição lavou-a em lágrimas até ao dia em que, inesperadamente, ouviu a seguinte conversa entre homens: “Sempre fui fiel e acredito nos casamentos para a vida. Não permito traições!”. Afinal, havia homens que pensavam como ela! A fidelidade era possível! Precisava de paz. Tinha de abandonar a raiva, a saudade e o sofrimento. Com tranquilidade, encontraria o homem certo para si!

Margarida Leite, 44 anos, Cucujães


Sem comentários:

Publicar um comentário