21/06/13

Romper com o estigma

Um dedo esticou-se, apontando.
– Lá, estão os novos recrutas – indicou o sargento com afectividade.
– E agora?
– Um lugar cobiçado por muitos é o que lhes estamos a proporcionar – explicou em voz baixa.
Uma confusão, alguns metros adiante, despertou a atenção de ambos. 
Quando se aproximaram, a sensação de entusiasmo tomou conta deles.
– Está apostado! – prometia um dos novos, num sorriso de desafio e excitação.
Havia-se rompido qualquer estigma de isolamento e para a raiva não havia lugar.

Quita Miguel, 53 anos, Cascais

Sem comentários:

Publicar um comentário