26/06/13

Para ficar...

Deixo a alegria fugaz, já não me concentro nela.  Não consigo perante certos discursos, terrivelmente teóricos não me decepcionar.
Permaneço colérica por não me surpreender já dos que falam, que apregoam palavras simpáticas num discurso teórico perfeitamente pragmático. No primeiro instante, são os que precipitadamente oscilam e propendem para os que lhe dá mais jeito, mais visibilidade. O desprezo invade a minha fúria.  A raiva de me sentir impotente revela-se como surpresa. tristeza vem para ficar.

Elvira Cristina Silva, 49 anos, Queluz


Sem comentários:

Publicar um comentário