20/09/13

Foliona tardia

O salão estava vazio!
Quarta-feira de cinzas e Maria, voluntária na coletividade da terra, acabara de varrê-lo de todas as serpentinas, migalhas e confettis.
O chão de mosaico branco; estava mesmo só, já, a precisar de uma lavagem de balde e esfregona.
Assim era, e assim Maria se decidiu a fazer.
Só nunca pensou que viesse encontrar ainda uma foliona tardia:
Uma osga pequenina que parecia ir devorar dois confettis.
Que susto! Credo!
Fugiu a sete pés!

Paulo César Nunes, 58 anos, Póvoa de Santa Iria

Desafio nº 51 – sobre uma imagem de Francisca Torres

Sem comentários:

Publicar um comentário