21/11/13

No limite do infinito

Atingiu o infinito da irritação. Sem azáfama, para a desconfiança mantinha a tranquilidade do costume: o que faria na claridade do umbral, como se ali tivesse sido posta em bulício, naquela irritante pose de diva em sessão fotográfica? Altivez tinha pouca. De nada lhe valia a contingência com que a confrontavam diariamente no jornal.
A ela, que nunca perde o aroma do suspiro, não irá perder a oportunidade de chegar a redatora chefe.
Está escrito nas estrelas.

Alda Gonçalves, 46 anos, Porto

Desafio nº 55 – reescrevendo um texto com contrários

Sem comentários:

Publicar um comentário