21/11/13

Só assim, eu!

Em noite calma, onde reina, na claridade de um raio de luz, o espaço para a certeza eu, comigo, permito-me a aceitação do desassossego da arrogância da altivez. O infinito traz-nos a revolução e a pressa de viver para saber! Mas a noite, por onde tudo escapa, deixa à solta a tranquilidade no pensamento e essa é a felicidade onde gosto de me encontrar e reencontrar num mar de inconsistentes sobressaltos que me tranquilizam, só assim, eu!

Gonçalo Santos Pinto, 34 anos, Costa da Caparica

Desafio nº 55 – reescrevendo um texto com contrários

Sem comentários:

Publicar um comentário