14/04/14

Dançando na prateleira


– Eu…? De cetim.
–  És suave… Brilhante… Deslizas.
– E tu… provocas. Sensual. De pele.
– Não nos serve de muito!
– Não. Tangos perfeitos, com cortes ao limite.
– Piruetas elevadas, chegando aos deuses.
– Perfeitos!
– Fomos. E eles também. Graças a nós.
– Foram também amor perfeito.
– Mas deixaram-nos aqui… a apodrecer.
– Resta-nos a memória.
– Os meus tangos seduziam corpos de gelo.
– Os meus pés flutuavam cisnes em êxtase.
– Esqueceram-nos!
– Ouço passos…  São eles.
– Não! São os netos.
– Vamos voltar a dançar!

Fernanda Elisabete Gomes, 58 anos, Lisboa

Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam