27/02/15

Tudo o que ela teve

Foste tudo o que ela teve. Salvaste-a no precipício e envolveste-a como se de uma jóia tua se tratasse. Mas, onde estás? Onde ela está ou onde ela pensa estar? Em lado nenhum, porque foste dela, sem ela te querer. E, agora, que ela te quer, embora foste. E, como ela sente, como ela fecha os olhos, e sem medo deixa as lágrimas cair. Como ela te querer. Como ela vive no nada em que se transformou.

Ana Sofia Cruz, 17 anos, Porto

Desafio nº 74 – nada em que se transformara

Sem comentários:

Publicar um comentário