13/05/15

O palhaço

A saltar ao pé-coxinho e a precisar de um abraço, a criança reparou num vulto colorido dentro de uma velha carripana. Aproximou-se. Pela janela, viu um palhaço, com a cabeleira caída, agarrado a dois enormes balões. A medo, com os dedos pequeninos a tremer de emoção, bateu, ao de leve, no vidro. Repetiu o gesto. O palhaço sorria, imóvel, de olhos fechados. A criança foi-se embora, enquanto o palhaço sonhava que distribuía abraços pelas crianças suas amigas.

Paula Dias, 50 anos, Lisboa

Desafio RS nº 25 – dedos que batem no vidro (cena)

Sem comentários:

Publicar um comentário