18/06/15

Raio da cabra!

Adormecido, o inverno fazia-se agora mais brando. A meio da ponte, a neve já começara a derreter somando água à corrente forte do rio. O sol a pico desnudava-a, mostrando cada pedra que compunha os seus admirados arcos. Nascera e sentia-se Romana. Encurtava distâncias, unia as margens, ouvia segredos, promessas, juras de amor, corridas de ladrões. E tudo fluía…Tudo, não! Que fazia aquela estúpida cabra parada, no seu dorso, hesitante entre o cá e o lá?

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

Desafio nº 87 – ponte, rio, cabra