25/10/15

Uma verdade

Discursava fazia uma hora. No início do discurso a plateia “plateava-se”, adormecida pela tarde de sol tórrido. As expetativas eram baixas. Mas o homem não era o mesmo, tinha mudado, as palavras que rematava a cada frase eram batentes na consciência de cada um. E não parava, a consistência e exuberância da sua verve denotava um político acima dos outros, com convicções e audácia. No zénite a plateia rompeu-se em aplausos, como se uma verdade ardesse indomável.

Constantino Mendes Alves, 57 anos, Leiria

Desafio nº 91 – cena metafórica de gota de chuva que acaba numa poça

Sem comentários:

Publicar um comentário