25/10/15

Óbvio, ou não?

– Sabes, pá, aquela casa onde morava?

– Óbvio, sim, sei.

– Imagina, pá, afinal o senhorio falsificava os recibos, pá!

– Óbvio, e tu…

– Óbvio como? Já sabias, pá?

– Não, óbvio, ficaste em maus lençóis, óbvio.

– Pá, ficamos os dois, pá…

– Óbvio, foi complicado?

– Mas para ti, pá, é óbvio eu pagar, pá, pela trafulhice dele?

– Óbvio que não.

– Pensei, pá, que estavas do lado dele.

– Óbvio… sobrou para ti?

– Claro, pá!

– Era óbvio. Já resolveste? Óbvio?

– Claro, pá! Óbvio.


Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

Desafio nº 48 – diálogo em que uma personagem tem um tique de linguagem

Sem comentários:

Publicar um comentário