15/12/15

Uma colher em greve

Irra! Isso está a escaldar! Estás sempre a queimar-me. Estou farta, fartíssima
Brrrrr. Que água gelada. Nãoooo!
Agora estou toda besuntada com esta porcaria peganhosa. Blhec! Que nojo. É demais.
Ena calma! Ai, de tanto andar às voltas sinto-me tonta. E enjoada.
Quente frio, frio quente. Já ultrapassa os limites. De nada adianta ficar rígida. Pois bem, vou ficar molenga, que nem a gelatina.’
E se o pensou, assim fez, declarando que era uma colher em greve.

Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 52 anos, Coimbra

Desafio Escritiva nº 2 – greve na cozinha

Sem comentários:

Publicar um comentário