23 janeiro 2016

Força inabalável

Deitou-se cedo. Com a final do jogo pela manhã, convinha estar em forma. Mas a imagem das sapatilhas não o largavam. Feitas de lona, com elas vivera momentos inesquecíveis, ganhara jogos quase invencíveis, chorara derrotas inesperadas. Agora eram apenas recordações, velhas cúmplices de um passado feliz.
Um sonho apoderou-se dessa noite. Ali estavam elas gastas e desbotadas, incendiando-lhe os sentidos como nos velhos tempos.

E foi, com uma força inabalável no coração, que partiu para o jogo.

Isabel Lopo, 69 anos, Lisboa
Desafio Escritiva nº 4 – homenagem às sapatilhas

Sem comentários:

Enviar um comentário