23 janeiro 2016

Queridas sapatilhas

Não era precisamente uma pessoa muito desportiva. Quando eu era pequeno, tinha asma, era sempre o último escolhido na aula de educação física, tantas razões para ter nojo desta coisa a que chamam desporto. Mas um dia, a minha madrinha ofereceu-me umas sapatilhas de atletismo brancas, novinhas. Andei. Senti-me tão leve que corri. Corri todos os dias. Nesse dia, deixei para trás muitos quilos e o medo disso a que chamam desporto. Obrigado por tudo, queridas sapatilhas.

Lucas Krywicki, 20 anos, Liège, Bélgica, prof Paula Pessanha Isidoro

Desafio Escritiva nº 4 – homenagem às sapatilhas

Sem comentários:

Enviar um comentário