14 janeiro 2016

Não me engana, coração

Ah, coração leviano, quando me enganas é a ti quem trais.
Não pensa que me agarro a suas voláteis paixões.
És tu que mente amor, desejos e bem querer.
Não sabes sequer o caminho profundo que só quem ama consegue atravessar.
Tropeças em teus desvarios, fazes de nossa existência uma gangorra em pleno precipício.
Por tua causa ando em eterna corda bamba de sombrinha...
Coração, não te engane assim. Não mintas para nós, não mintas para mim... 


Roseane Ferreira, Macapá, Amapá, Extremo Norte do Brasil
Desafio RS nº 33 – uma história de enganos

3 comentários: