17 fevereiro 2016

Para lá da janela

À janela da sala grande
Vivia sorrindo, espantada… numa mescla de real e fantasia. À janela da sala grande, partia para o seu mundo colorido. Sonhava com visitas, correrias de crianças… sonhava! Sonhava que o seu cavaleiro viria…
E ali foi ficando… deixando-se amarrar, gozando o sabor da sua cegueira. Na verdade, só tinha olhos para lá da janela, lá para diante, onde o sol maravilhava a sua alma.
E assim foi vivendo, virtualmente… abrindo e saltando portas de sonho em sonho.

Domingos Correia, 58 anos, Amarante

Desafio RS nº 34 – frase de Mia Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário