17 fevereiro 2016

Saudade

Tenho razão de sentir saudade!
De lastimar a fortuna, estou farta!
Foi maldade! Foi maldade!
Insólito acontecimento
que me arrebatou o contentamento!
Deste então, sem que perceba a razão,
O meu semblante gelou,
Minha mente parou.
Enegreceu meu coração.
Esvaiu-se pra sempre o rio de amor…
Ai, esta dor… esta dor…
(Dou por mim a amargurar em nostalgia)
Chega! Basta!
E por isso, declaro veemente neste dia,
imersa em ressentimento e melancolia,
Que a saudade não compensa!

“Tenho razão de sentir saudade” «A Um Ausente» Carlos Drummond de Andrade
“Que a saudade não compensa” «Tomara» Vinicius de Moraes

Andrea Ramos, 39 anos, Torres Vedras

Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor

2 comentários:

  1. Desafio muito promissor.
    Boa a resposta da Andrea. Parabéns!
    Saudade dá belos poemas.

    ResponderEliminar
  2. Também acho, Celina. :)
    Beijinhos às duas

    ResponderEliminar