06 março 2016

Descriação

No enésimo dia o bom Deus não descansava.  Uma dúvida o carcomia: Deveria dizer qualquer coisa aos homens, sejam bons, por exemplo?
Ele tinha feito o Universo, a maravilha da vida, mas também a morte, o inferno.  Os homens partilhavam de tudo isso, como podia Ele ordenar-lhes: Amem, sejam justos?
Estas coisas, achou Deus, sabe-se como começam, mas não como acabam.
Finalmente, decidiu: – Façam o que puderem; foi a mensagem, a última, amorosa palavra.
E, pronto, descriou-se.


Ignacio Aparicio Pérez-Lucas, Salamanca, España

Sem comentários:

Enviar um comentário