23 abril 2016

Avivando a memória

Para lembrar como vai ser preenchido o meu dia
Escrevo agora para avivar a memória
Vou levantar-me às sete e meia
Que é quando o passarinho chilreia
Levanto as persianas, e ao dia dou os bons dias
Depois tomo um duche quentinho
E muito devagarinho começo por ouvir lindas melodias
Visto-me, arranjo-me, tomo o pequeno-almoço
Vou ao supermercado comprar pão, leite e fruta
E sem pressa, correria nem alvoroço
Começa a labuta, com alegria e alguma disputa.

Maria Silvéria dos Mártires, 69 anos, Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário