30/01/18

Clara Valcárcel ― escritiva 27

Caminhei pela rua muito mais do que o necessário só pelo cheiro daquele homem. Era como o cheiro do meu primeiro namorado. Intenso, doce mas um bocadinho picante. Ele estava a conversar com uma rapariga, um pouco similar a mim; nesse instante, eu tinha quinze anos outra vez e falava com aquele primeiro amor. As nossas ilusões ainda eram novas, sem estrear, ainda não tínhamos estragado nada. Dobraram a esquina e a ilusão perdeu-se com o cheiro.
Clara Valcárcel, 19 anos, Salamanca, USAL, prof Paula Isidoro
Escritiva nº 27 - cheiros


Sem comentários:

Publicar um comentário