25/07/18

Elsa Alves ― escritiva 34


Lembro-me de ouvir a porta bater e chamar: "Cristina!" Sem resposta... Talvez a porta estivesse aberta e se fechasse com alguma corrente de ar. Não. Foi Cristina que desapareceu. Nunca contactou. Terá tido algum acidente? No quarto, em cima da cama, reparo na sua mala. Abro-a: telemóvel, documentos, chaves. Tropeço num corpo. À volta, um mar de sangue. Pegadas ensanguentadas, por todo o lado.  São dos meus sapatos. Então, desvairado, largo a faca que segurava na mão...
Elsa Alves, 70 anos, Vila Franca de Xira
Escritiva nº 34 - policial

Sem comentários:

Publicar um comentário