11 agosto 2018

Carla Silva ― escritiva 34


Simplesmente acontecera
As palavras ainda ecoavam na sua cabeça.  
― Não acredito! Não se deixa de amar de um dia para outro.
Lara sabia que ele tinha razão.  Acontecera gradualmente, sem que ela o planeasse... A indiferença instalou-se pouco a pouco entre cada discussão, entre cada lágrima derramada. Tomou consciência que não o amava quando elas cessaram. Dizer-lho trouxe-lhe alívio, não sentia culpa pelo fim.
Sabia que ele era o culpado. Ele tinha assassinado o amor que um dia sentira. 
Carla Silva, 44 anos,  Barbacena, Elvas
Escritiva nº 34 - policial

Sem comentários:

Enviar um comentário