29/10/18

Diário 77 ― 109 ― A gata

A gata
Não, escusas de insistir, não
solução, acabou-se.
Mal percebi
Que andavas assim,
Sempre com olhinhos de carneirinho parvo, percebei: não tenho paciência que
Dure o tempo suficiente para te aturar,
Nem quero ter de te partilhar com aquela bola de pelo.
Bem podes chorar, não me afeta. Quero
Que sejas muito feliz, ou coisa parecida,
Não quero é ficar a ver.
Se tiveres saudades minhas, chora. Talvez a estúpida gata
Acabe por te deixar em paz!
Margarida Fonseca Santos
Desafio nº 30 – provérbio à esquerda na folha imposto
OUVIR

Sem comentários:

Publicar um comentário