24/12/18

Theo De Bakkere ― desafio 158

Segundo o mocho local
Coitado! Esta iludida ave deliciou-se. Estranho! Ninguém a tivera avisado logo.
Talvez porque aquela perua fosse bastante vaidosa e porque o seu comportamento egoísta nunca tinha feito amizades no galinheiro. Empurrando todos da manjedoura, cresceu, até satisfação da camponesa, duas vezes mais rápida que os outros galináceos. Regularmente, recebia um afago e uma guloseima. O que, segundo dizia o mocho local, não acontecia sem risco. Principalmente, porque os dias mais curtos do ano ainda teriam de chegar.
Theo De Bakkere, 67 anos, Antuérpia, Bélgica
Desafio nº 158 – acróstico de CEIA DE NATAL

Sem comentários:

Publicar um comentário