02/02/19

Natércia Tomás ― desafio 162


Na velha adega, havia a cisterna inativa. Nunca resistia ao desafio de lhe atirar pedras dentro, pela pequena abertura circular. Ficava à espera de ouvir o som cavo do baque quanto batiam no fundo: phôhhh… Depois fugia aterrada, imaginando esqueléticos longos braços com mãos esquálidas, agarrando-me as pernas. Cá fora cheirava a terra molhada. Era inverno, nuvens cinzentas anunciavam novos aguaceiros. Refugiava-me em casa: a lenha crepitava na lareira acesa pela avó, para fumar os enchidos. 
Natércia Tomás, 65 anos, Caldas da Rainha
Desafio nº 162 ― pedra, nuvem, terra e lenha como indutoras

Sem comentários:

Publicar um comentário