14/03/19

Catarina Azevedo Rodrigues ― desafio 166


O tolo do Elias
Elias Tolo foi o nome que a mãe lhe deu. Certa manhã descobriu safiras. Não disse nada e nunca as usou. Enterrou-as numas floreiras secretas. Eram lindas, ovais, azuis e belas como água. Pareciam gotas geladas, cristalinas. Nunca quis casar e não teve prole. Ficou obeso, resmungão, avarento… Um mimo! Envelheceu, adoeceu, morreu sozinho. Era rico e não se sabia. Caramuja desconhecia tamanha riqueza. E as jóias sem dono. Tivesse usufruído fortuna encontrada. Elias era mesmo tolo!
Catarina Azevedo Rodrigues, 46 anos, Venda do Pinheiro
Desafio nº 166 – Elias de Caramuja