29/08/19

Helena Rosinha ― desafio 182

A fome a roer o bucho, nada para morder - “Espera, parece-me um borrego em sossego.” Raposo chega-se devagar; manso, propõe uma prova de corre-corre no bosque (o manjar será de arromba!). Borrego, na sua pureza, adere ao jogo. Raposo sabe que não há quem o derrube e, achando-se avançado no percurso, dorme uma boa hora de soneca. Quando acorda, surpresa! O pequeno borrego, vagaroso, mas sem parar, fez a proeza de vencer. Vexado, Raposo morde-se de vergonha.
Helena Rosinha, 66 anos, Vila Franca de Xira
Desafio nº 182 ― 3 histórias sem i, t, l

Sem comentários:

Publicar um comentário