30/09/19

Judite ― escritiva 11

Há palavras que não são para nós
ninguém suspeita para quem são
mas nós sabemos que são nossas
Vêm nas asas dos pássaros apressados
nas brisas quietas disfarçadas
nas carinhosas gotas de chuva
nas nuvens tempestuosas
no sol esquivo de Janeiro
no burburinho do mar
no aceno das estrelas
Vêm sempre,
todos os dias
por vezes até gritam
outras vezes segredam
são palavras silenciosas
mas ouvem-se sempre
entram pela alma
tocam o coração
e encharcam os olhos
Judite, 27 anos, Santarém
Desafio Escritiva nº 11 – mensagem na garrafa

Sem comentários:

Publicar um comentário