20/01/21

Maria Silvéria dos Mártires – desafio 231

MAR 

Ó mar de águas cinzentas 

Neste inverno tão rigoroso 

Os teus barquinhos ostentas 

Estás calmo e não revoltoso. 

 

A cor do céu parece refletir 

Nas tuas águas cor de cinza 

Ó mar eu estou a pressentir 

Que o céu contigo não ranzinza. 

 

Tu tens bom feitio e humor 

Oiço os pescadores falarem 

Que tu mar és mesmo um amor. 

 

 

Tu andas mar na tua azáfama 

Deixas as redes ao mar lançarem 

Não precisas de arranjar mais fama. 

Maria Silvéria dos Mártires, Lisboa  

Desafio nº 231 – fotografia como inspiração