10/03/22

Desafio nº 266

Hoje, homenageamos a nossa querida Isabel Peixeiro com um excerto do seu livro

«O último contador de histórias». 


Em algum momento do vosso texto, surgirá:

«... serviam-se de histórias, bebericavam ideias e enchiam-se de pensamentos

 

Vamos a isto!

 

A mim, saiu-me assim:

A vida das fadas era atribulada. Havia sempre alguma urgência, algum perigo, algum festejo, sempre algum detalhe que, como se sabe, pode e deve contar com a intervenção das fadas. O armário onde guardavam os feitiços, parecia vazio. Grande engano! Ao abri-lo, as fadas serviam-se de histórias, bebericavam ideias e enchiam-se de pensamentos. Era assim que mantinham a felicidade viva. Sei que pensam que não existem fadas. Novo engano! Estão bem vivas no interior de cada Mulher.

Margarida Fonseca Santos, 61 anos, Lisboa

Desafio nº 266 – excerto de Isabel Peixeiro