23 março 2016

Ser

São momentos difíceis, a inquietude e a desgraça assombram (os melhores momentos). Não se aproveita, não se deleita, a negra sobra impede tal querer.
Outrora, apenas memória, muralha sólida construída nos pilares de uma vida de luta, suor, sacrifício e plena de emoções…
Ruiu… o vento consigo levou o que sobrou…
Os locais, as moradas habituais, pontos percorridos de pés descalços.
Perdeu-se a essência ficando a mera presença física do ser – foi por isso que se escreveu.

Rita Neves, 38 anos, Sardoal 

Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»

Sem comentários:

Enviar um comentário