12 junho 2016

Equação sem resolução

O seu casamento tornou-se uma equação sem resolução.
No início, somava o azul dos seus olhos com os sorrisos da sua boca de cereja e as suas vidas seriam retas paralelas a encontrarem-se no infinito.
Mas, números astronómicos em parcelas imensas formaram dívidas impossíveis de pagar. Depressa se tornaram num labirinto que multiplicou ressentimentos e os dividiu. Os cálculos continham erro, claramente. Dele? Dela?
Apagaria tudo e recomeçaria do zero. Só assim, tiraria a prova dos nove.
Ana Paula Oliveira, 55 anos, S. João da Madeira

Desafio RS nº 38 – a matemática dos dias

Sem comentários:

Enviar um comentário