31 julho 2016

Carinho reconfortante

– Parabéns, Vovó! Feliz aniversário! – dizia a criança, enquanto se debruçava e a beijava na testa.
“Quem será? Porque me chama Vovó se nunca tive filhos, muito menos netos…”
Mas sabia-lhe tão bem aquela proximidade e aquele carinho. Sentia-se tão só!
– Ó Mafaldinha, essa senhora não é a Bivó! É a colega de quarto.
– Não faz mal, mamã! Já vou – e virando-se para a idosa: – também queres ser minha Bivó?
Claro que queria, gostava tanto que fosse verdade…
Palmira Martins, 60 anos, V. N. Gaia

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

Sem comentários:

Enviar um comentário