31 julho 2016

Pela Pátria

O seu filho e um outro soldado caíram pela Pátria no mesmo dia, e foram de urgência enterrados num canto isolado do cemitério, muito longe das suas terras natais. A mãe visitava cada quinze dias o sepulcro do filho falecido.
Nunca viu alguém visitando a cova do outro soldado, nem sequer no dia de finados quando todos comemoram os seus defuntos. Afligia-a muito: mesmo na morte existe a solidão, e deixou uma rosa na sua campa simples.
Theo De Bakkere, 63 anos, Antuérpia Bélgica

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

Sem comentários:

Enviar um comentário