10 fevereiro 2017

O dia seguinte

Sentindo a alma mais cansada que o corpo, deitou-se junto ao companheiro que dormia. Permaneceu no escuro ouvindo a respiração dele, pesada pela bebida. Enquanto o sono não chegava, fazia planos para uma nova vida, mas faltava-lhe a coragem para dar o decisivo passo.
Sabendo que nunca faria nada de diferente, fechava os olhos e adormecia, colocando esperanças no novo dia.
Como se, por artes mágicas, a noite pudesse fazer do dia seguinte um dia completamente diferente.
Carla Silva, 43 anos, Barbacena, Elvas

Desafio nº 115 – frase de Valter Hugo Mãe

Sem comentários:

Enviar um comentário