28/11/12

A gaveta



Abre a gaveta. Tapa a gaveta. Inspira. Abre a gaveta. Corre com a mão atrás dela. Tira a mão. Fecha a gaveta. Abre a mão que encerra a papoila. Expira. Latejando, ainda doente, permanece com as pétalas descaídas, são incapazes de voltar a acenar. Abre a gaveta. Tira o ninho de folhas de caderno. Abre. Embala-a e suavemente coloca-a a dormir confortavelmente enroscada nas suas pétalas outrora carmim. Tenebrosa e sapiente roda a chave, tranca a gaveta.

Catarina Peças

Sem comentários:

Publicar um comentário